quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Outros relatos: Adriana Tavares

Já disse isso antes: às vezes fico com vontade de encerrar esse blog por conta da exposição sem controle sobre minha vida e a de meus filhos, mas sempre em seguida recebo alguma manifestação carinhosa para continuar ou algum presente em minhas mãos. O relato da Adriana sobre o aniversário de quinze anos de sua filha, hoje ainda mais moça, é um desses presentes que me anima a continuar com a troca de vivências e me inspira como modelo de mãe. Parabéns, Luara, hoje e sempre, principalmente pela grande mãe que você e seus irmãos têm.
SEXTA-FEIRA, 17 DE ABRIL DE 2009


http://4.bp.blogspot.com/_ychOMnNumd4/Seo8DMDzEsI/AAAAAAAAAEc/8bUv-Dk21OY/s320/zz.bmp

 

Entro no túnel do tempo com saudade e satisfação porque sei que mãe e filha são elos de uma mesma corrente que se perpetua.Eu sou o futuro de minha filha e minha filha é o meu futuro.
Lembro que a Luara chegou de um parto rápido,bem pequena e tão inteira e tão desejada que mesmo sem saber se seria menina,ela já tinha um nome.
Luara ,nome indígena,coisa de mãe jovem.O nome tem a ver com luminosidade e ela nasceu ao meio dia e pedi alta ao doutor porque sabia que eu e ela nos bastávamos naquele momento.
O nascimento do filho é arrebatador,menos por sua idealização e mais porque é a força da natureza se impondo de maneira brutal e dolorosa que depois acalma como se nada fosse.
E a filha vai crescendo e um dia você percebe que ela te observa enquanto você se troca e remexe nos colares,nas roupas e há uma admiração em seu olhar.Me faz importante.No futuro minhas coisas e até minha imagem,serão dela ,com um pouco de mim.
Hoje minha filha está uma adolescente.Eu a amo e sei que será uma bela mulher,mas sei também que a leveza da infância se foi e que a alegria que ela sentia ao pular corda cada vez mais rápido,como descreveu a professora no relatório escolar de quando ela tinha seis anos,ficou para trás.Talvez ela jamais vá ser feliz como então.
Ambas nos reconhecemos uma na outra,nos admiramos e até nos invejamos.A beleza que perdi renasce nela e a força também.Existem fases duras e fases bem felizes quando conseguimos dividir experiências e fazer planos conjuntos,vibramos uma pela outra nos apoiamos em momentos ruins e comemoramos os bons.Somos bem diferentes,brigamos às vezes mas há uma ponte entre nós que nos une e nos torna parceiras e companheiras nessa jornada em busca de felicidade.Há uma ligação rara entre mãe e filha ....
Por isso toquem tambores,acendam as luzes,e soltem rojões porque hoje minha filha completa quinze lindos anos

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário